26 de abr de 2012

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão .





         O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial foi instituído pela Lei nº 10.439, de 30 de abril de 2002, e definiu o dia 26 de abril como data oficial
No Brasil, assim como em outros países, 30% da população adulta têm hipertensão. Está presente naqueles que fumam e bebem, que têm diabetes, são obesos e ingerem sal em excesso, são sedentários e tantas outras co-morbidades. Infelizmente hipertensão arterial não é doença que habitualmente produza sintomas, daí ser difícil convencer alguém a tomar remédio se nada sente Hoje dispomos de vários exames para a identificação das mais diferentes causas de hipertensão, mas nem sempre isto significa a cura.
         O Ministério da Saúde vêm implementando diversas estratégias de saúde pública, cientificamente eficazes e sustentáveis para prevenir e controlar a Hipertensão Arterial e suas complicações, através do cuidado integral a esse agravo de forma resolutiva e com qualidade : O diagnóstico de hipertensão é maior em mulheres (25,5%) do que em homens (20,7%). “Nos dois sexos, no entanto, o diagnóstico de hipertensão arterial se torna mais comum com a idade, alcançando cerca de 8% dos indivíduos entre os 18 e os 24 anos de idade e mais de 50% na faixa etária de 55 anos ou mais de idade”
Existem dois tipos de hipertensão: a primária e a secundária. A primária está associada à hereditariedade e é mais comum. Já a hipertensão secundária surge por motivos específicos, como obesidade, gravidez, uso de drogas, álcool e sal em excesso entre outros fatores.

              Em geral, as mulheres tornam-se hipertensas mais tardiamente que os homens: elas, a partir dos 50 anos; eles, a partir dos 40. O distúrbio afeta 10% das grávidas e pode levar ao parto antecipado e, sem tratamento, pode levar à morte. Além de dores de cabeça, cansaço, inchaço e palpitações, se não for tratada a tempo, o quadro pode se agravar, evoluindo para a eclampsia – principal causa de morte materna no país. 

São fatores de risco conhecidos para hipertensão:
Idade → Aumenta o risco com o aumento da idade.
Sexo→Até os cinquenta anos, mais homens que mulheres desenvolvem hipertensão. Após os cinquenta anos, mais mulheres que homens desenvolvem a doença.
Etnia→Mulheres afrodescendentes tem risco maior de hipertensão que mulheres caucasianas.
Nível socioeconômico→ Classes de menor nível socioeconômico tem maior chance de desenvolver hipertensão.
Consumo de sal →Quanto maior o consumo de sal, maior o risco da doença.
Consumo de álcool→O consumo elevado está associado a aumento de risco. O consumo moderado e leve tem efeito controverso, não homogêneo para todas as pessoas.
Obesidade→ A presença de obesidade aumenta o risco de hipertensão.
Sedentarismo→O baixo nível de atividade física aumenta o risco da doença.

  DICAS PARA PREVENIR E CONTROLAR A PRESSÃO ALTA

  •  Meça a pressão arterial pelo menos uma vez por ano.
  •  Pratique atividades físicas diariamente
  •  Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
  •  Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
  •  Reduza o consumo de álcool. Se possível , não beba.
  • Pare de fumar.
  •  Nunca pare o tratamento, é para a vida toda
  • Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde.
  •  Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.
  •  Ame e seja amado.


Visite o http://www.eusou12por8.com.br/ para se manter sempre informado.

0 comentários:

Postar um comentário

Contato

Fale Conosco

Entre em contato com nossa unidade, fale com nossos profissionais e tire suas dúvidas quanto aos nossos programas

Endereço

Estrada Rio Pequeno,Lote n° 1 - Taquara

Funcionamento

De Segunda a Sexta das 08h às 20h | Sábado das 08h às 12h

Telefone

(21) 3347-2047